Página 1 de 1

Experiência de Geiger e Mardsen

MensagemEnviado: Quarta Jul 02, 2008 9:33 pm
por Pedro Melo
Bem, depois de um longo período de hibernação forçada, devido à avaliação contínua e aos exames, venho por aqui um problema simples que serve como revisão de movimentos de partículas.

Imaginem que estão no início do século XX, e que são um destes dois senhores. Realizaram uma experiência para medir a deflecção angular que as partículas alfa sofrem quando "atiradas" para uma folha fina de um metal (ouro por exemplo). De repente vêm que os vossos resultados não são compatíveis com o modelo de Thomson, mas funcionam bem para um átomo com um núcleo pontual de carg Ze. Determinem a trejectória de uma partícula alfa quando é projectada do infinito com energia cinética T_{0}=\frac{1}{2}mv²_{0} e cuja recta que passa pelo ponto de lançamento e tem a direcção de \vec{v_{0}} está a uma distância a do núcleo atómico (considerado pontual e de massa infinitamente maior que a da partícula alfa), considerando que na partícula alfa só actua a força que o núcleo exerce nesta.

MensagemEnviado: Quarta Jul 02, 2008 9:39 pm
por jap
E se resolverem este (é fácil) podem calcular a secção eficaz clássica - curiosamente dá o mesmo resultado que a secção eficaz calculada usando a Mecânica Quântica... :D

MensagemEnviado: Quarta Jul 02, 2008 9:40 pm
por jap
jap Escreveu:E se resolverem este (é fácil) podem calcular a secção eficaz clássica - curiosamente dá o mesmo resultado que a secção eficaz calculada usando a Mecânica Quântica... :D


PS: Sabem quem foram Geiger e Mardsen? :roll:

MensagemEnviado: Quarta Jul 02, 2008 9:47 pm
por Pedro Melo
Esqueci-me de dizer para usarem coordenadas polares, que o problema resolve-se num integral.