Página 2 de 4

MensagemEnviado: Domingo Maio 18, 2008 8:08 pm
por RicardoCampos
Só que assim estamos a contar que as moedas são parte da régua, que não são.

Ou será algum tipo de atrito que faz com que elas pseudo-sejam?

MensagemEnviado: Domingo Maio 18, 2008 8:36 pm
por sagardipak
Não é preciso assumir que fazem parte da régua. O que eu acho que acontece é que a moeda mais próxima do eixo de rotação aplica um torque tal que faz a extremidade da régua ter uma aceleração maior que g...

MensagemEnviado: Domingo Maio 18, 2008 11:00 pm
por jap
sagardipak Escreveu:Não é preciso assumir que fazem parte da régua. O que eu acho que acontece é que a moeda mais próxima do eixo de rotação aplica um torque tal que faz a extremidade da régua ter uma aceleração maior que g...


Não tem a ver com a moeda! :lol:

Considerem a régua a cair, a régua apenas, rodando em torno de uma das extremidades. Calculem a aceleração com que cai o extremo livre da régua - talvez fiquem surpreendidos. 8)

MensagemEnviado: Domingo Maio 18, 2008 11:02 pm
por sagardipak
2g?

Mas só no momento em que a régua é largada...
Wild guess porque agora não tenho tempo de fazer contas...

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:04 pm
por Ângela Guerra
Confesso que antes de ler as outras respostas diria o mesmo que o Ricardo (Amaral). Com a dica do Sagar, penso (muito vagamente e a atirar barro à parede XD) que talvez o copo esteja sujeito a uma força centrípeta, por estar agarrado à tábua, e como essa força é oblíqua e aponta para a direita e para baixo, aumenta a intensidade da força resultante, logo, a aceleração do copo é superior a g. Como a bola não está agarrada ao pinoco, fica apenas sujeita ao próprio peso e cai com g. Alguma coisa na minha resposta que faça sentido? :?

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:13 pm
por Ângela Guerra
Mas pensando no vídeo das moedas o que eu acabei de dizer já não faz muito sentido, porque nesse caso a régua devia então cair com uma aceleração inferior a g e as moedas com g, logo, as moedas não deviam ficar para trás, a não ser que sejam "impulsionadas" pela régua, mas nesse caso deviam voltar a tocar-lhe ao longo do percurso...
Já estou é a inventar, lol. Tenho teste de química na sexta...

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:15 pm
por MiguelReisOrcinha
penso que a causa é esta: digamos que O é o eixo, C é o centro de massa e P o ponto que vai receber ca bolinha... como O, C e P estão ligados, eles vão ter a mesma velocidade angular, isto é obrigatório. se a tábua roda segundo O e está a ser acelerada em C, como P está afastado de C e tem que ter a mesma velocidade angular que ele, tem que percorrer uma distância maior em menos tempo, tempo esse que é o tempo que C demora a tocar na mesa.

como w é igual mas o P tá mais afastado ele tem que descer mais depressa (em termos lineares e não angulares)...

sem cálculos, penso que é isto...

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:16 pm
por MiguelReisOrcinha
afinal já responderam... :lol:

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:19 pm
por jap
Não haverá quem se disponha a fazer uns cálculozinhos de dinâmica de corpo rígido para a régua? Se fizerem os cálculos, não é difícil calcular a aceleração de um ponto na extremidade da régua... :P

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:21 pm
por Ângela Guerra
Sem saber o raio da régua?
Prof. Paixão, tem consciência de que vou tirar péssima nota em química, na sexta, e o vou culpar a si? :lol:
Tou a brincar... Isto é contagioso!

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:25 pm
por Bruno Oliveira
Pois, deixa lá Ângela, por aqui há sempre um problema que nos prende... :lol: o meu primeiro foi o da "Geringonça" e agora ando preso ao "Rotação Musical"...
Physics rulezz 8) e é como diz o Sagar "Física é Quark!" :wink:

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:31 pm
por jap
Ângela Guerra Escreveu:Sem saber o raio da régua?
Prof. Paixão, tem consciência de que vou tirar péssima nota em química, na sexta, e o vou culpar a si? :lol:
Tou a brincar... Isto é contagioso!


Bem, se quiserem eu coloco aqui a solução... :P Mas era giro serem vocês a descobri-la...mas não descurem a Química, lá por isso... :lol:

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:33 pm
por MiguelReisOrcinha
deu-me uma coisa assim: \frac{d^2\theta}{dt^2}=\frac{g}{r} cos(\theta(t))

esta é a aceleração do CM

como se resolve este bicho feio?

as outras diferenciais sei como hei-de fazer... uso a exponencial... mas e esta? :shock:

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:37 pm
por Ângela Guerra
MiguelReisOrcinha Escreveu:deu-me uma coisa assim: \frac{d^2\theta}{dt^2}=\frac{g}{r} cos(\theta(t))


:shock: Desisto, de certeza que não sei matemática suficiente para resolver isto... Por estes lados deve ser raro, mas eu só tenho a matemática A do 11º ano...e incompleta! :D

MensagemEnviado: Segunda Maio 19, 2008 9:38 pm
por MiguelReisOrcinha
não é tão raro quanto isso... no worries... o que não sabes aprendes :D