Página 1 de 1

Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Segunda Abr 07, 2014 5:01 pm
por antonio_carneiro
Boas malta! Considerem só esta situação, que me está a fazer confusão: temos uma particula a andar em linha reta , na nossa sala, por exemplo, e temos o nosso referencial fixo num dos cantos da sala. Ela anda com velocidade constante, logo p é constante. Sendo L=prsina, r varia, logo L varia também. No entanto, não atuam torques externos e ainda o referencial da sala é inercial. Como se explica então que o momento angular varie? :?

Re: Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Segunda Abr 07, 2014 5:46 pm
por ajcoelho
Se a partícula está a andar em linha reta, o prduto vetorial de p x r é nulo porque se trata do seno de 0º... Logo, o momento angular da partícula é zero

Re: Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Segunda Abr 07, 2014 6:02 pm
por antonio_carneiro
Sim, mas não tem que estar obrigatoriamente a andar segundo a direçao do vetor posição. :)

Re: Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Segunda Abr 07, 2014 6:19 pm
por ajcoelho
antonio_carneiro Escreveu:Sim, mas não tem que estar obrigatoriamente a andar segundo a direçao do vetor posição. :)


Ah entao nesse caso, tu tens o módulo de r a aumentar (supondo que a partícula se esta a afastar) mas o seno do ângulo vai diminuindo e assim L mantém-se sempre constante. Has de ver este desenho que deve ajudar. Eu penso que será isto...

Re: Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Segunda Abr 07, 2014 7:03 pm
por antonio_carneiro
Ah, exatamente, não tinha pensado nisso :) então, o que importa é, digamos, a distância à linha de ação da força, como no torque, que neste caso é rsin a. Obrigado António :)

Re: Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Terça Abr 08, 2014 8:40 am
por antonio_carneiro
Já agora, tenho outra dúvida relacionada com este assunto. Se estamos sentados numa plataforma giratória, e temos uma roda de bicicleta a girar counterclockwise num plano perpendicular ao chão e a nós. Quando nos mudamos a posição da roda para ela girar num plano paralelo ao chão, nos começamos a rodar para conservar o momento angular. Mas assim, o momento angular no inicio era um vetor que apontava para cima, e no final, é a soma do nosso momento angular com o da roda, e como são vetores perpendiculares, dá algo oblíquo. Porquê?

Re: Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Terça Abr 08, 2014 1:42 pm
por duarte.magano
antonio_carneiro Escreveu:Se estamos sentados numa plataforma giratória, e temos uma roda de bicicleta a girar counterclockwise num plano perpendicular ao chão e a nós. Quando nos mudamos a posição da roda para ela girar num plano paralelo ao chão, nos começamos a rodar para conservar o momento angular. Mas assim, o momento angular no inicio era um vetor que apontava para cima, e no final, é a soma do nosso momento angular com o da roda, e como são vetores perpendiculares, dá algo oblíquo.


Desculpa, mas eu não estou a perceber bem a situação… Não podes mostrar uma ilustração, ou algo do género, por favor?

Re: Conservação do momento angular

MensagemEnviado: Terça Abr 08, 2014 7:29 pm
por antonio_carneiro
Por exemplo, vê o Exercise A da pg 337. Não é bem a minha dúvida mas ja é grande parte dela :)